Bordalo n'a Berlinda: Mostra Documental

Bordalo n'a Berlinda: Mostra Documental

Manuela Rêgo, João Paulo Cotrim

Biblioteca Nacional

2005

36

Mole

Português

9789725654057

5 dias


Versão ebook 4,00 €

Rafael Bordalo Pinheiro, 1846-1905, transformou nessa nova linguagem plástica que foi a narrativa gráfica, através do cartoon e da caricatura que o tornou famoso e figura ímpar na história cultural e política portuguesa. Em 1870-1871 publica A Berlinda , sete páginas, que se anunciam como «reproduções de um álbum humorístico ao correr do lápis». A política e os seus actores são dramaticamente comentados em sequências mais ou menos narrativas, onde a imagem e o texto se entrelaçam de modo que algum sentido se perde quando os separamos. Folha 1: Os fossadores de patriotismo Folha 2: Ainda os fossadores de patriotismo Folha 3: Mapa da Europa - Fervet opus em 1870 Folha 4: Retalhos da Companhia dos Caminhos de Ferro Folha 5: A Hisopada mistiforio político Folha 6: A chiadinha: últimas cenas do último Carnaval Folha 7: Conferências do Casino. Esta última folha é a reportagem-comentário à suspensão das conferências do Casino, acontecimento maior pata a Geração de 70 e, portanto, para as ideias em Portugal. Rafael ele mesmo, em palestra, abre dois pontos e narra: «Senhores», diz o auto-retrato, «esta é a purulenta e burguesa fisionomia do país». E vai de a desenhar com detalhe até anunciar a «visão redentora e de endireita» que nos é oferecida pelo grupo de organizadores, Antero, Eça, Batalha Reis, entre outros, abrigados sob o barrete frígido.
Índice não disponível.
Este título pertence ao(s) assunto(s) indicados(s). Para ver outros títulos clique no assunto desejado.